quarta-feira, 22 de março de 2017

Nosso planeta precisa de nos...


A verdadeira historia da Terra e de suas civilizações é muito mais emocionante que o que os controladores de turno colocaram para a humanidade. É difícil de acreditar agora, a luz da consciência, que a humanidade sempre se acabou porque éramos ruins e porque tínhamos que evoluir mais e aprender com o sofrimento. Não existe hoje na Terra um pai, por pior que seja que queira que seu filho aprenda pelo sofrimento, menos ainda uma mãe que queira isso.  Significa que esta historia toda esta muito mal contada.Voltamos a nascer para aprender...Mas para aprender o que?? Si meus registros são apagados ao nascer, estou em um circulo vicioso permanente, como sair de tudo isso.!!!.. Falam-nos que o Buda se iluminou... Mas como se iluminou? A ultima hora percebeu que estava assim como todos em uma armadilha terrível que ele chamou de “Roda de Samsara”, pelo menos ele conseguiu “ver” antes de ir.   Neste final de ciclo planetário, a luz da consciência de civilizações mais evoluídas está chegando ate nossas esferas, alterando assim nosso poder de percepção. A intuição se transforma em poderosa ferramenta e o amor proveniente de esferas maiores inunda nosso planeta, seus reinos e toda a vida existente em ele. Finalmente sentimos que precisamos de um mundo melhor, que nossa luta é a luta do guerreiro da verdade, do guerreiro do apocalipse (apokálypsis palavra grega que significa revelação), chega de mentiras e de coisas ocultas para a humanidade, queremos saber tudo sobre os contatos com extraterrestres negativos que os governos ocultam e sobre os Portais Estelares que eles manejam com tecnologias avançadas. Nosso planeta Terra depende da energia do ser humano, do amor incondicional que ele possa sentir e administrar. A consciência desperta permite que possamos ver alem do que eles querem nos mostrar. Nosso planeta precisa de nos, as formas de vida que existem precisam de nos, o universo precisa de nos, de nosso despertar!! 

Nenhum comentário:

Postar um comentário